Madre Nirmala Narikunnel, OSB
Abadessa de Shanti Nilayam (Índia)

Madre Teresita D’Silva

Fundadora e antiga abadessa de Shanti Nilayam

 

MTeresita«Combati o bom combate. Terminei a corrida, guardei a fé. Agora, é-me reservada a coroa de justiça que o justo juiz me dará nesse dia » (2 Tm 4,7). Este dia chegou para Madre Teresita a 12 novembro de 2019. Estou segura de que o Senhor a acolheu dizendo-lhe: «Vem, bendita de meu Pai, recebe o reino preparado desde a fundação do mundo» (Mt 25,33).

Audrey D’Silva nasceu a 7 de novembro 1933, filha do casal Dr. Oswald D’Silva e da Sra. Blanche D’Silva. Foi batizada na igreja Nossa Senhora da Salvação em Dadar, Bombaim, e recebeu o nome de Florence Louisa, mas foi sempre chamada Audrey. Nasceu numa grande família de dez crianças, sete meninas e três meninos.

Audrey passou em seu exame de fim de escolaridade em 1951. Pouco tempo depois, começou a ensinar no convento de Dadar. Frequentou o colégio Sophia em 1952, obteve o seu diploma de professora em 1953 e o diploma de religião em 1963, ambos no colégio jesuíta São Xavier. Foi presidente da Curia Junior de Bombaim. Em 1960, o padre Benedict Alapatt, osb, falou-lhe das beneditinas e da beleza do canto do Ofício divino num encontro deste organismo. O padre Benedict sugeriu a Audrey que visitasse o mosteiro Santa Helena de Wennappua (Sri Lanka). Fez aí uma estadia durante as férias e leu a Santa Regra. O padre Benedict apresentou-lhe em seguida a Abadia de Stanbrook, mas finalmente, foi à Abadia de Santa Cecília de Ryde que uma carta foi dirigida. Assim começou a correspondência que Audrey manteve com a Madre Abadessa Bernedette Symers. Audrey demitiu-se do ensino e dpontou a Índia a 13 de outubro de 1963. Passou alguns dias em Roma, onde assistiu a uma audiência pública com o papa Paulo VI. Depois voou para Inglaterra rumo à Abadia de Santa Cecília. A 21 de outubro de 1963, começou o postulado e fez a primeira profissão a 2 de julho 1965. Em sua tomada de hábito, recebeu o nome de irmã Teresita. Dpontou Ryde em 1968 acompanhada da Madre Abadessa Bernedette Symers para o congresso monástico de Bangkok, regressou à Índia sempre acompanhada da Madre Abadessa. Chegaram a Shanti Nilayam, perto de Bangalore, a 16 de dezembro de 1968.

A bênção do mosteiro e da capela assim como a profissão solene de irmã Teresita aconteceram em 26 de julho de 1969, presididas pelo arcebispo Monsenhor Lourduswamy. As primeiras candidatas, irmã Clara e irmã Maria José, partiram para Ryde a 27 de julho 1969, a fim de receberem a sua formação monástica. Madre Teresita D´Silva foi nomeada superiora pela Madre Abadessa Bernadette Symers e a partir deste momento tomou a responsabilidade de Shanti Nilayam até à resignação em 2013 por razões de saúde.

Madre Teresita era uma pessoa profundamente ligada à vida monástica, vida simples de oração e trabalho. Enraizada na fé, era uma pessoa cheia do Espírito. Nada preferia à obra de Deus, o Ofício divino. Transmitiu às irmãs o mesmo amor e desejo. Falava pouco, orava muito, tinha um real dom para o ensinamento e sabia guiar os outros. Foi mestra de noviças durante algum tempo. De 1970 até ficar doente, dava aulas às jovens professas e acompanhava espiritualmente irmãs e pessoas em retiro.

Em 1982, Shanti Nilayam foi elevado a priorado e Madre Teresita foi nomeada prioresa. Em 1993, o mosteiro passou à Abadia e Madre Teresita foi eleita por unanimidade primeira abadessa. Foi presidente da Federação beneditina indo-sri-lankaise (FBIS). Foi várias vezes a Roma e outros países. Tinha um grande zelo por propagar a vida monástica em diversas regiões da Índia. Deu conferências sobre assuntos espirituais, a fim de suscitar novas vocações. Durante o seu superiorado, a comunidade pôde fazer quatro fundações em Gujarat, Shillong , Dindugal, Myanmar, e empreendeu uma quinta em Jamshedpur. Ainda que doente, foi constantemente fiel ao ofício divino no espírito da escola do serviço do Senhor. Quando em casa, era sempre presente no Ofício, até ficar acamada, cinco meses antes da morte. Foi tratada no hospital St. John’s e ficou a cargo de médicos batistas do hospital durante os seus dois últimos meses. O chamado de Deus vinha buscar a nossa Madre bem amada a 12 de novembro de 2019 às 15 horas. Que Deus lhe dê a recompensa do repouso eterno! A sua alma repouse em paz. Amém.

Obrigado a todos quantos estiveram presentes no funeral e a todos os que oraram sem poder estar presentes fisicamente. Sentidos e particulares agradecimentos ao caro padre Jérôme, presidente da Federação beneditina indo-sri-lankaise, à Madre prioresa de Grace and Compassion, Madre Metilda e à prioresa das irmãs de Sainte- Lioba, Madre Vandhana, pela sua presença, assim como a outras superioras maiores da Índia, por enviarem os seus representantes ao funeral de Madre Teresita. A família beneditina da Índia estava toda bem representada. Estamos igualmente muito reconhecidas à AIM pelas mensagens e condolências recebidas assim como aos outros mosteiros que enviaram as suas condolências e orações.