O CARISMA MONÁSTICO
Herdeiros e atores

P. Martin Neyt, OSB

«É necessário tempo, crises e provações para se formar um monge em comunidade. A provação num mosteiro dura a vida inteira. É um trabalho de perspicácia», escreve D. Jean-Pierre Longeat, OSB, comentando o carisma monástico na vida dos monges. Este número do Boletim da AIM, dedicado às novas fundações, à vida das comunidades, aos jubileus que pontuam suas histórias, se inscreve todo inteiro na dinâmica monástica e valoriza seus encantos, suas peculiaridades, seus combates.

Nós nunca terminaremos de descobrir a vida escondida dessas pessoas que trazem misteriosamente em sua oração e seu trabalho a presença d’Aquele que renova todas as coisas por seu amor, e a esperança que sua mensagem nos traz. Depois de tantos séculos de espera, eis o fundador da Congregação Beneditina de Santa Maria do Monte Oliveto, Bernardo Tolomei, OSB, (1272-1348), venerado sobre os altares. Madre Françoise, OSB, abadessa de Notre-Dame de Saint-Eustase (França), dá o seu testemunho pessoal. Os Amis des Monastères à travers le monde (AMTM)(1) acabam de festejar na França, no Colégio dos Bernardinos (Paris), em presença de 200 pessoas, 40 anos de solidariedade para com o serviço da AIM. É, pois, ocasião de render graças a Deus e agradecer aos membros da AMTM e seu presidente, Sr. Bernard de Mas Latrie, sua dedicação sem limites e sua preocupação em colaborar, juntamente com a AIM, para a vida e o desenvolvimento das comunidades monásticas. Duas conferências marcaram essa tarde memorável, assim como o testemunho de estudantes em Paris (três monjas, duas da África e uma do Brasil, e um monge vietnamita). O carisma monástico se revela aqui, por palavras e atos, através desses testemunhos de comunidades longínquas e ao mesmo tempo tão próximas de nós.

A experiência vivida por Dom Thomas Cole, OSB, monge de Pluscarden (Escócia), no Mosteiro de Thiên Phước (Vietnã) está cheia de um sabor bem concreto, além de desenvolver uma nova dimensão de pertença e comunhão.

Ainda a propósito da identidade monástica, um colóquio ecumênico, em Bose (Itália), teve como tema o combate espiritual. Enzo Bianchi, Prior da comunidade, em seu discurso de abertura, descreve o espaço e o tempo interiores que caracterizam o combate espiritual a partir desse órgão central que é o coração. Por sua vez, Dame Laurentia, OSB, monja da Abadia de Stanbrook (Inglaterra), volta às origens e retraça o itinerário de São Bento que viveu «somente para Deus» no celibato.

No começo do ano, é bom que valorizemos as novas comunidades. Esses dois últimos anos viram surgir sete novas fundações. Elas se implantaram no Brasil, no Congo, em Cuba, na Noruega, no Quênia, na Nova Zelândia e na Síria. A abertura do monaquismo nos países nórdicos continua, Cuba autoriza a presença de uma comunidade monástica internacional formada por vários monges africanos do Togo, a fundação em Alepo (Síria) responde à vocação cisterciense desejosa de dar continuidade a uma presença em meio muçulmano. Essas novas experiências testemunham a impressionante vitalidade do carisma monástico e dos novos territórios descobertos.

Como de hábito, no início de cada ano o Boletim dá notícias dos Mosteiros através do mundo. Elas são, em sua maioria, tiradas das crônicas que recebemos e muitos Mosteiros nos fazem perceber como essas relações são fontes de informações, de melhor conhecimento, de comunhão. Por ocasião da última reunião do Conselho da AIM, realizado no Mosteiro das Beneditinas de Erie (Estados Unidos), uma conferência colocou em destaque a origem de sete comunidades femininas e oito comunidades beneditinas americanas, originárias da Europa.

Herdeiros e atores do carisma monástico, beneditinos e beneditinas celebram vários jubileus, sinais de um carisma que atravessou as provações do tempo. A seguir, quatro eventos significativos:

• O Abade Dom Philippe Dupont, OSB, abriu solenemente, por ocasião da celebração aniversária da Dedicação da Igreja Abacial de Solesmes, um ano jubilar. O Mosteiro está celebrando mil anos de oração que se eleva dos muros da igreja fundada por Geoffroy de Sablé. A data de 1010 coincide com o undécimo centenário de fundação da Abadia de Cluny, ocorrida em 909 ou 910, da qual a Abadia de Solesmes é herdeira pela oração litúrgica e pelas obras de misericórdia.

• O Arquiabade Douglas R. Nowicki, OSB, e os monges da Arquiabadia de Saint-Vincent, nos Estados Unidos, celebraram com o Abade Primaz e inúmeros convidados o bicentenário do nascimento de seu fundador, Bonifácio Wimmer, OSB (1809-1887). É a mais antiga Abadia beneditina americana. Foi fundada na Pennsylvania em 1846. Além do Colégio, do Seminário Maior e de várias Paróquias, seu raio de ação se estende a duas fundações, uma no Brasil(2) e outra em Taiwan.

• Madre Ângela Strobel, OSB, Prioresa Geral, e as Irmãs da Congregação das Beneditinas Missionárias de Tutzing, festejaram de maneira original os 125 anos de sua fundação. Tendo principiado humildemente, essa Congregação missionária conta hoje com cerca de 1.400 membros, presentes em 20 países.

• Os beneditinos missionários da Congregação de Sankt Ottilien celebraram, por sua vez, cem anos de presença na Coréia e no nordeste da China, na Abadia de Waegwan, próxima de Seul. Essa Abadia foi completamente devastada por um incêndio na sexta-feira santa de 2007. A nova igreja acaba de ser inaugurada. A 25 de setembro de 2009, o Cardeal Nicolas Cheong Jin Suk, arcebispo de Seul, presidiu a missa pontifical juntamente com os Bispos da Conferência episcopal da Coréia, o Abade Primaz, os membros do Sínodo dos Abades Presidentes, bem como os representantes de todos os Mosteiros da Congregação Otiliense.

A AIM sente-se feliz em associar-se pela oração a essas celebrações festivas que coroam anos de combates espirituais para bem realizar os compromissos assumidos. Longa aventura solitária, comunitária e cultural.

O Mosteiro do «Morne Saint-Benoît», nas proximidades de Porto Príncipe, foi testemunha do terrível terremoto que destruiu uma grande parte do Haiti. Face a esse drama tão próximo de seu Mosteiro, os monges se organizaram para acolher crianças e adultos vitimados. A AIM também levou sua modesta contribuição para minorar essa imensa catástrofe humana.

Ficamos também profundamente sensibilizados com o falecimento de Dame Teresa Rodrigues, OSB, da Abadia de Stanbrook, que durante vários anos prestou serviço aos Mosteiros e à AIM. Que o Senhor Jesus receba em sua luz e em sua paz essa monja fiel inteiramente consagrada a Deus e às comunidades que serviu.

Traduzido do francês por Dom Matias Fonseca de Medeiros, OSB

(1) N. do T. – Amigos dos Mosteiros através do mundo.
(2) Mosteiro de São Bento, em Vinhedo, SP.

Utilisateurs connectés

Temos 51 visitantes e 0 membros em linha